"Passear com as fotografias de Germano Schüür, não é bem o mesmo que percorrer os rostos, casas e paisagens dessa convidativa Nova Petrópolis. É fazer isso acompanhados pela especial emoção de um fotógrafo que ama as coisas e as gentes que registra. Germano Schüür, um gaúcho de Cruz Alta, consegue passar, através de suas imagens bem feitas, aquele respeito pela cultura do povo de que só é capaz quem mergulha nela, com a cumplicidade de quem a ama e com a sensibilidade de quem se emociona".

José Clemente Pozenato, escritor e autor de O Quatrilho.



"A contingência material da fotografia, o trivial ou a inoportunidade do detalhe, o registro documental são superados pela subjetividade do fotógrafo. Germano Schüür não vê através da máquina, observa além dela. Não lhe interessa a reprodução realista. Importa-lhe o domínio máximo do instrumento para poder intuir, descrever e interpretar, e nas suas fotos à moda antiga, mostrar as raízes e os traços de uma cultura e de um povo".

Jayme Paviani, crítico de arte e ensaísta.